Vinícius Camargo quer proibir ‘ideologia de gênero’ em PG

Ponta Grossa

10 de outubro de 2018 16:59

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Pré-venda do 'Planeta Mais' tem ingressos esgotados

AMTT alerta para desligamento de semáforos neste domingo

Colégio Sagrada comemora 85 anos em PG

Cescage realiza ação para coleta de mechas de cabelos
Rapaz ameaça pai com facão e acaba preso
Operação detém dupla por perturbação do sossego
Flanelinha leva pedrada de ladrão de carro
Foto: Foto: Kauter Prado/CMPG
PUBLICIDADE

Vereador apresentou proposta de emenda à Lei Orgânica (LOM). Documento foi assinado por outros 19 parlamentares.

O vereador Vinícius Camargo (PMB) quer proibir de forma definitiva o que chama de “Ideologia de Gênero” nas escolas de Ponta Grossa. Com esse objetivo, o vereador apresentou uma proposta de emenda à Lei Orgânica Municipal (LOM) - além do próprio Vinícius, outros 19 parlamentares assinaram o documento que foi protocolado na Câmara Municipal no último dia 21 de setembro.

A proposta de Vinícius Camargo insere o artigo 171-A na LOM. O novo texto sugerido pelo vereador do PMB proíbe a “adoção, divulgação, realização ou organização de políticas de ensino, currículo escolar, disciplina obrigatória, complementar ou facultativa, ou ainda atividades culturais que tendam a aplicar a ideologia de gênero”. A sugestão é que a proposta passe a valer assim que aprovada e sancionada.

Na justificativa do projeto, Vinícius defende o argumento de que a aplicação da chamada ideologia de gênero não é cientificamente comprovada. “Para os defensores desta ideologia, não existe apenas o gênero masculino ou feminino, mas um espectro que pode ser livremente escolhido pelo indivíduo”, aponta o vereador. Na visão de Camargo, uma alteração na LOM afastaria a possibilidade definitivamente.

O vereador do PMB sustenta que a escola deve formar estudantes críticos e autônomos, mas sem doutrinação. Camargo diz ainda que não deve-se fazer com que o Estado defina o que é melhor para as crianças em matéria de Educação, em detrimento das famílias. “Além disso, a abordagem da ideologia de gênero é apenas uma hipótese, não é uma teoria científica comprovada e isso é admitido pelos próprios estudiosos do campo”, argumenta o parlamentar do PMB. A proposta ainda não tem data para ser levada ao Plenário da Câmara Municipal.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede