aRede aRede aRede
aRede
PG cria conselho para potencializar desenvolvimento

Ponta Grossa

12 de julho de 2018 20:11

Fernando Rogala

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

ABOPG realiza 22º Congresso Internacional de Odontologia

Tríduo prepara festa de Senhora Sant’Ana

Projeto 'Férias na Biblioteca' inicia na segunda

Ciclista morre em acidente no Jardim ‘Los Angeles’
Obras da Sanepar afetam abastecimento em 12 vilas
Ação no Muffato oferece produtos abaixo de R$ 0,99
Festa de Santo Antônio segue até o final da tarde
/Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Foi sancionada, pelo prefeito Marcelo Rangel, a Lei nº 13.183, que Institui o Conselho de Desenvolvimento Econômico de Ponta Grossa (CDEPG). Dessa forma, o município passa a contar, oficialmente, com um conselho que visa o fomento dos mais diversos setores que compõem a economia local. “É um conselho mais focado na convergência de todos os setores da economia com a sociedade organizada, para que a cidade tenha planejamento a longo prazo, e não um plano de governo feito por governantes”, ressalta Paulo Henrique Dalle Carbonare, secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, membro que integra o Plenário do CDEPG.

A ideia surgiu ainda na época da campanha de Rangel, desenvolvida em conjunto com a Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (Acipg). Apesar de sancionado o Conselho depende ainda de alguns detalhes para oficialmente entrar em operação. Para isso, há a necessidade de fechar o Regimento Interno. “Mas acredito que em 60 dias tudo estará regulamentado, com decreto”, explica. O Conselho seguiu os moldes do adotado pelo município de Maringá (Codem), bastante tradicional, com cerca de 20 anos. “Trocamos ideias, analisamos o que deu certo e o que deu errado e fizemos as leis. Agora estamos em contato para aperfeiçoar e regulamentar”, completa Carbonare. O Codem tem um método de trabalho bastante atuante, explica, que faz o monitoramento de índices e indicadores. 

Entre as atribuições do conselho estão gerir o Fundo Municipal de Desenvolvimento Econômico, estabelecer diretrizes com vistas a geração de empregos e desenvolvimento econômico do Município, realizar estudos visando à identificação das potencialidades e vocação da economia do Município, para futuramente divulga-las, identificar problemas e buscar soluções para a geração de emprego, fortalecimento da economia e atração de investimentos, entre outros. Integram o conselho o prefeito, secretários municipais, representantes da Acipg, UEPG, Fiep, UTFPR, do setor rural, de sindicatos, entre outros. 


Cinco câmaras técnicas irão abordar setores específicos

O Conselho também determina a criação de cinco câmaras técnicas, cada uma para abranger um assunto diferente relacionado ao assunto: São as câmaras técnicas de Tecnologia e Inovação; de Atração de Investimentos; da Cadeia de Agronegócios; de Comércio e Serviços; e do Comércio Exterior. “A ideia é unir os setores e desenvolver ferramentas para planejar a cidade para daqui 20 anos. Temos as discussões muito separados na cidade”, completa Carbonare, explicando que cada câmara técnica terá representantes nomeados conforme os assuntos relacionados, com lideranças de cada setor.  


O Quê?

Esse novo conselho seria uma espécie de sucessor do CDesponta, extinto há alguns anos, porém com novos princípios. Carbonare também esclarece que não tem nada a ver com a Codesi (Comissão de Desenvolvimento Industrial), que é o conselho que rege o Prodesi, que é o Programa de Desenvolvimento Industrial do município de Ponta Grossa. 

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização