aRede aRede aRede
aRede
MPF denuncia maior traficante de animais silvestres

Cotidiano

17 de abril de 2018 09:49

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Inocente preso no lugar de ladrão é solto no Rio

Especialistas negam propostas de CPI dos Cartões de Crédito

PSL oficializa Bolsonaro como candidato à Presidência

Após 25 anos, personagens lembram noite da Chacina da Candelária
Polícia investiga morte de advogada de 29 anos em Guarapuava
Governo e Alep decretam luto após morte de Bernardo Carli
Família Ribas Carli emite nota após morte de deputado
Depois de ser detido 16 vezes, ele foi denunciado por lavagem de dinheiro/Foto: Reprodução Facebook/
PUBLICIDADE

De 1996 para cá, nas outras 14 vezes em que foi detido por crime de tráfico de animais, Honório de Jesus foi liberado mediante assinatura de um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO)

Detido pela 15ª vez, o maior traficante de animais silvestres do Brasil, Valdivino Honório de Jesus, será denunciado por lavagem de dinheiro, segundo informou ontem (16) o Ministério Público Federal (MPF) em Patos, na Paraíba. A procuradoria estima que o paraibano tenha acumulado patrimônio de mais de R$ 1,3 milhão com comércio ilegal praticado desde 1996. Valdivino está detido preventivamente na Penitenciária Romero Nóbrega.

Além da acusação de lavagem de dinheiro, o MPF pede que ele perca seu cargo na Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado da Paraíba (Emepa). O órgão também acionou a Justiça Federal para reclamar o sequestro dos bens do denunciado, para que possam se converter em renda destinada ao Fundo Penitenciário Federal. O valor será acrescido de todos os débitos administrativos gerados pelo trâmite do processo, conduzido na 14ª Vara Federal.

De 1996 para cá, nas outras 14 vezes em que foi detido por crime de tráfico de animais, Honório de Jesus foi liberado mediante assinatura de um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), explicou o MPF. Ele descumpriu medidas cautelares determinadas pela Justiça em setembro de 2017, como o comparecimento em juízo uma vez por mês e o pagamento de uma multa de R$ 40 mil. Somadas todas as multas fixadas, a quantia devida pelo acusado já ultrapassa R$ 9 milhões.

Informações Agência Brasil

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização