aRede aRede aRede
aRede
Temer vai a Boa Vista discutir situação de imigrantes

Cotidiano

12 de fevereiro de 2018 12:47

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

CCR RodoNorte registra redução no número de vítimas e acidentes

TSE publica registros e prazo para impugnar candidaturas é aberto

João Barbiero recebe bolsistas do Talento Olímpico PR

Projeto de lei proíbe exportação de animais vivos para o abate
Projeto de Lei pode alterar piso salarial de médicos e dentistas
Paraná vai receber até R$ 500 mil para combater obesidade
FNDE lança pesquisa para avaliar transporte escolar rural
Diariamente imigrantes venezuelanos ingressam no Brasil/Foto: Divulgação Agência Brasil/
PUBLICIDADE

A prefeitura de Boa Vista estima que cerca de 40 mil venezuelanos tenham entrado na cidade

O presidente Michel Temer vai hoje para Boa Vista, onde terá reunião hoje (12) com a governadora de Roraima, Suely Campos, e com a prefeita da capital de Roraima, Teresa Surita. Na reunião, Temer deve tratar, entre outros assuntos, da imigração de venezuelanos. A pauta completa da reunião não foi divulgada.

Temer embarcou na base aérea de Santa Cruz, no Rio de Janeiro. Após a visita, o presidente voltará para a base naval da Restinga da Marambaia, no Rio de Janeiro, onde passa o carnaval com a família.

Segundo o Palácio do Planalto, Temer deve ser acompanhado pelos ministros da Defesa, Raul Jungmann; do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen; da Justiça, Torquato Jardim, e da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco.

A prefeitura de Boa Vista estima que cerca de 40 mil venezuelanos tenham entrado na cidade, ao fugir da crise econômica e política por que passa o país vizinho.

Na sexta-feira (9), Temer disse que a posição do Brasil é uma atuação “diplomática, responsável e contestadora” em relação ao que está ocorrendo na Venezuela e que o Brasil busca ajuda humanitária aos imigrantes que atravessam a fronteira.

Em visita a Boa Vista na semana passada, o ministro da Justiça, Torquato Jardim, anunciou um projeto-piloto para absorver mão de obra de venezuelanos que têm chegado ao país pela fronteira com Roraima.

Os imigrantes tentam escapar da grave crise econômica que assola o país vizinho, que sofre com desabastecimento generalizado de produtos e uma inflação que chega a 700% ao ano.

Informações Agência Brasil

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização