aRede aRede aRede
aRede
Caixa reduz juros e aquece mercado imobiliário

Campos Gerais

16 de abril de 2018 20:29

Fernando Rogala

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Vice de Alckmin, Ana Amélia visita Agroleite em Castro

AMCG quer pautar desenvolvimento do interior

Palmeira terá usina fotovoltaica de quase R$ 400 mi

Ratinho Junior e Sandro Alex cumprem agenda em Castro
População atingida pelas chuvas em Sengés pode sacar o FGTS
Operação contra o tráfico acaba com cinco presos
Homem morre após levar facada na barriga
PUBLICIDADE

Entraram em vigor, nesta segunda-feira, dia 16 de abril, as novas regras para financiamento imobiliário da Caixa Econômica Federal. Com o objetivo de fomentar o mercado, as mudanças incluem a redução na taxa de juros, de até 1,25% ao ano, e um aumento de 50% para 70% a cota de financiamento de imóvel usado. As medidas valem para imóveis enquadrados no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI). Em todo o país, a Caixa está disponibilizando mais de R$ 82 bilhões para o financiamento imobiliário. 

No caso dos juros, a taxa mínima do SFH (imóveis com valores de até R$ 800 mil), por exemplo, que era de 10,25% ao ano caiu para 9% ao ano. Já a do SFI (imóveis com valores acima de R$ 800 mil) a mínima passa de 11,25% para 10%. “Basicamente foi a tendência da redução da taxa Selic. É o momento do mercado que exige reposicionamento da taxa para melhorar as condições de financiamento”, resume Delcio Bevilaqua, Gerente Regional da Construção Civil na Superintendência regional da Caixa Econômica Federal. 

No caso da outra medida, a da redução do limite financiável para imóveis usados, permite que o comprador tenha uma entrada menor do que antes. Até domingo, o limite financiável era 50%, ou seja, para um imóvel de R$ 500 mil, por exemplo, antes era necessário ter R$ 250 mil para financiar os outros R$ 250 mil; enquanto que agora há a necessidade de R$ 150 mil, sendo possível parcelar R$ 350 mil. “A caixa entendeu que isso era mais adequado, oferecendo a melhor condição. Às vezes, 50% no valor de um imóvel é bastante, então a Caixa facilita para o proponente, quando eleva o percentual de financiamento para 70%”, completa. 

Além, simplesmente, de proporcionar a realização do sonho da casa própria ou uma nova moradia, Bevilaqua reforça que fomentar o setor da construção propicia um fortalecimento da economia. “A principal ideia da Caixa, quando toma uma decisão como essa, é contribuir, também, para o desenvolvimento da economia, proporcionando o desenvolvimento do emprego e o aumento da renda. O mercado imobiliário tem um impacto forte”, disse.


Banco é líder em financiamentos

O banco mantém a liderança no setor com cerca de 70% das operações para aquisição da casa própria. Para esse ano, serão disponibilizados R$ 82,1 bilhões para o crédito habitacional, com a perspectiva de financiar cerca de meio milhão de imóveis. Para o gerente de construção civil da Caixa na região, essa alteração, permite um incremento especialmente na modalidade SFH, por conter uma quantidade maior de financiamentos. “O SFI é em menor quantidade, então atinge uma faixa menor. A concentração nossa mais forte é na SFH”, relata.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização