aRede aRede aRede
aRede
Vila São José é a campeã do Carnaval 2018 de Tibagi

Campos Gerais

12 de fevereiro de 2018 17:00

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Saúde pauta reunião da AMCG em Telêmaco

Sicredi figura em 14 categorias do Melhores & Maiores 2018

Moradores encontram corpo com sinais de queimaduras

Empresário é executado a tiros dentro de casa
Vice de Alckmin, Ana Amélia visita Agroleite em Castro
AMCG quer pautar desenvolvimento do interior
Palmeira terá usina fotovoltaica de quase R$ 400 mi
PUBLICIDADE

A 108ª edição do Carnaval de Tibagi, o melhor dos campos Campos Gerais, teve seu ponto alto na noite deste domingo (11), com o desfile de rua, que trouxe as quatro escolas de samba da cidade (18 de Março, Vila São José, Unidos do Nequinho e Renascer da Municipal) e a premiação da melhor agremiação, num espetáculo de cor e luz, que vai entrar para história da festa.

Vila São José foi consagrada a grande campeã. Autoridades da região prestigiaram o evento, como o deputado estadual, Plauto Miró Guimarães, o prefeito de Telêmaco Borba, Dr. Márcio, o vice-prefeito de Imbaú, Jocelino Couto Ribeiro e o Chefe da 21ª Regional de Saúde, Roberto Amatuzzi.

O resultado da votação saiu na madrugada desta segunda (12). A Escola Vila São José levou o troféu Peter Allan, criado este ano para premiar a melhor escola. Com 318 pontos a Escola da Vila foi escolhida pelos jurados como a que mais se destacou nos quesitos evolução, harmonia, organização, fantasia, tempo, mestre-sala e porta-bandeira, madrinha de bateria e uniforme.

Fábio Bueno dedicou o prêmio a Castorino Taques, o “Ino”, importante integrante da escola, falecido ano passado.  A Renascer da Municipal ficou em segundo, com 300 pontos. A escola 18 de Março, em terceiro, com 298 pontos e a Unidos do Nequinho em quarto, com 275 pontos. Para o gerente de Cultura e presidente da Comissão do Carnaval 2018 de Tibagi, Sidnei Bielski, o troféu deve ser um incentivo para que as baterias sempre busquem o melhor. “É um troféu itinerante, que vai ficar na escola por um ano. A ideia é que a cada ano esse troféu seja motivo de incentivo para que as escolas sempre se superem. Já percebemos um resultado importante nesta primeira edição do troféu Peter Allan. Esperamos que ano que vem seja melhor ainda. O desfile demonstrou que as escolas procuraram dar o seu melhor. O Carnaval de Tibagi só tem a ganhar com isso”, comentou Bielski.


Desfile

O tema deste ano, “Optchá! Tibagi tem alma cigana, roda baiana e samba no pé”, criado pelo carnavalesco José Reale Filho, trouxe a história do povo cigano, suas influências nos hábitos e costumes presentes em várias partes do mundo. A escola que abriu o desfile foi a da Vila São José, que trouxe a comissão de frente da Casa das Artes do Tibagi, com coreografia de Guilherme Tupik. Os 11 casais deram show de interpretação, lembrando a dança Flamenco. Em seguida veio o carro abre-alas, com as majestades do carnaval: Rei Momo, João Marcos Soares, Rainha, Marili Pereira, 1ª princesa, Marielly Nogueira e 2ª Princesa, Vitória Maria.

A bateria chegou com a batida característica e fez uma parada diferente, fazendo alusão ao sucesso “Que tiro foi esse”, de Jojo Todynho. A madrinha da bateria é Brenda Raline. Ainda teve o mestre-sala e a porta-bandeira, Paulo Borges e Rosana Castro e a ala da baianas, com 17 integrantes. Os blocos que vieram a seguir trouxeram um pouco da influência indiana nas vestimentas, negócios e costumes do povo cigano.   

A segunda escola a se apresentar foi a 18 de Março, com bateria comandada pelo mestre Moacir Machado e pela madrinha Nicholy Galdino, que também foi eleita Miss Simpatia do Carnaval 2018 de Tibagi. O grupo entrou na avenida com o carro “Acampamento Cigano”, que trazia como destaque a apresentadora e modelo Raphaela Lima. O casal de mestre-sala e porta-bandeira , Altieri Albano e Ademara Morais vieram com a roupa toda estilizada, lembrando uma tourada e remetendo ao pasodoble, estilo musical e dança de origem espanhola. A escola ainda trouxe blocos com referências dos nômades dos desertos, odaliscas e das ciganas tradicionais, leitoras de mãos.

A Renascer da Municipal foi a terceira escola a entrar na avenida com o carro abre alas batizado de “Crenças Ciganas”, que trazia elementos, como os baralhos, bolas de cristal e os naipes da cartomancia. O mestre-sala e porta-bandeira da escola era Lucas Viana e Sheila Maria. A bateria da escola veio com a madrinha Rincon, passista da escola paulistana Tom Maior e com o mestre, Charles Hamberland. Os blocos trouxeram fantasias típicas dos ciganos.

A quarta e última escola a entrar na avenida foi a Unidos do Nequinho , que começou o desfile com o carro “Dança dos Leques”. O mestre-sala e porta-bandeira, Kennedy Sperandio e Fernanda Mello vieram com uma fantasia com mais de 300 lenços. A bateria, comandada pelo mestre Marcos, tem como madrinha, Joelle Brenda. Os blocos mais uma vez fizeram referência à touradas, aos babados e aos ciganos brasileiros, que incorporaram muito da tradição gaúcha em suas vestimentas.

O Carnaval 2018 de Tibagi é patrocinado por Copel Telecom e Sanepar/Governo do Paraná. Conta com apoio de empresas locais e da região: Lojas Mercado Móveis, Supermercados Cristal, Ls Tratores, Dibrape, Imobiliária Tibagi, Mopel, Campos Gerais Internet e Almeida Santos Construção Civil.


*Informações da Assessoria

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização