aRede aRede aRede
aRede
Adultos relatam experiência com PROERD em entrevista

Vamos Ler

07 de junho de 2018 13:02

Dhiego Tchmolo

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Alunos produzem materiais de campanha contra a Dengue

Copa do Mundo é pauta de estudos em Jaguariaíva

Turma confecciona campo de futebol com tampinhas

Obra literária traz reflexão à turmas do sétimo ano
Projeto de saúde bucal traz conscientização e entrevista
Turma de Jaguariaíva produz matérias através de impressos
História clássica traz atividades práticas em Tibagi
PUBLICIDADE

Cunhado e mãe de alunas da Escola Humberto Cordeiro comentaram sobre formatura do Programa na série de reportagens realizadas pelo 5º ano. Confira.

O Vamos Ler – Geração Digital dá sequência a terceira parte da série de entrevistas realizadas pelos estudantes do 5º ano da Escola Municipal Humberto Cordeiro em Ponta Grossa. Os trabalhos de reportagem foram produzidos durante a formatura dos alunos junto ao Programa de Resistência às Drogas e a à Violência (PROERD).

Após as entrevistas entre os colegas (acesse clicando aqui) e com a coordenadora do PROERD (veja através deste link), os estudantes Lucas Vinicius de Lara Ribeiro e Emily Camile Keiel puderam entrevistar, respectivamente, o cunhado e mãe de alunas.

Levando em consideração o excelente trabalho desenvolvido pela Polícia Militar do Paraná – Batalhão de Patrulha Escolar, unindo forças com a escola e a família, contra as drogas e a violência, resolvemos registrar no dia 24 de maio a formatura interna dos alunos na forma de entrevista”, explica a professora Nilza Aparecida da Costa, idealizadora do projeto.

No blog escolar da Escola Humberto Cordeiro você confere os vídeos (clique aqui) e as fotos (clique aqui), além de outras produções do 5º ano.

Confira as reportagens

Entrevista 1

Lucas Vinícius – Você concorda que o aluno do 5º ano tenha que saber sobre todos os conteúdos trabalhados no PROERD?

Alisson – Sim, é muito importante o que o PROERD trabalha. Porque hoje as drogas estão muito em evidencia. Os amigos oferecem, chamam para que você consuma, as vezes pela inocência, querendo agradar um colega seu, você acaba entrando nesse mundo e depois fica muito difícil de sair. Então é importante que se trabalhe esse assunto, desde pequeno, para que a pessoa fuja desse tipo de perigo, é muito importante esse trabalho.

LV – Você achou importante os alunos aprenderem sobre os conteúdos trabalhados no PROERD?

Alisson – Bom, como eu disse anteriormente, é um programa muito válido, já existe há um bom par de anos, acompanhei alguns alunos que foram formados e você percebe a diferença no comportamento desses alunos, eles têm uma tendência de reconhecer: eu não vou entrar nisso porque eu me lembro daquilo que o soldado disse no dia da escola. Então para muitas pessoas tem sido válido.

LV – Você acha importante a vida do PROERD na vida do seu filho/filha?

Alisson – Minha cunhada estuda aqui, ela sempre fala do Programa em casa. Ela mostra as tarefas que faz, discute, pede auxílio até na realização dessas tarefas, comenta o que aconteceu, tem feito bastante diferença na vida dela. Claro, a gente já faz esse incentivo para que ela não entre nesse mundo, mas um reforço na escola é sempre válido.

Entrevista 2

Emily Camile – O que você sobre sua filha participar do PROERD?

Mãe – Eu gostei muito desse Programa porque ele ajuda bastante as crianças nesse mundo de hoje que está difícil sobre as drogas, achei um programa bem produtivo, eu já conhecia ele, só que a minha filha levando o caderno para casa eu pude aprender mais com ela também.

EC – Você acha importante o PROERD para o futuro da sua filha?

Mãe – Acho muito importante. Para o futuro não só da minha família, mas como de todas as crianças desta escola e das outras escolas também, porque o mundo de hoje das drogas está muito difícil e assim, no dia a dia, as crianças já vão aprendendo como se portar a dizer não para as drogas.

EC – Você também aprendeu algum conteúdo com o PROERD?

Mãe – Como já falei, aprendi bastante com o PROERD também. A minha família além de estar levando as atividades para fazer em casa, a gente construía os textos e respostas juntos, tem muita coisa que eu aprendi que eu também não sabia. E eu achei muito importante mesmo esse programa na escola. 

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização