aRede aRede aRede
aRede
Cesta básica do ponta-grossense tem queda de 2,35% em julho

Ponta Grossa

09 de agosto de 2018 22:30

João Vitor Rezende

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Inscrições do Vestibular Cescage 2019 estão abertas para 16 cursos

IML identifica casal que morreu afogado em represa de PG

Delegação do Operário chega em PG durante a tarde

Colisão entre caminhões atrapalha trânsito na BR-376
Homem é levado ao Pronto-Socorro após acidente
Mulher se afoga, marido tenta salvá-la e morre também
Documentário Salvando Risos é lançado na CCR
/Arquivo aRede
PUBLICIDADE

Cebola foi o item com maior queda registrada no último mês

A cesta básica de Ponta Grossa registrou queda de 2,35% em julho, conforme pesquisa do Núcleo de Políticas Públicas Rouger Miguel Vargas (NPPRMV) da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). A compra dos 33 produtos que compõem a cesta caiu de R$ 482,80, valor registrado em junho, para R$ 471,46 no último mês.

O índice Cesta Básica (ICB) é aferido mensamente pelo NPP, com base nos hábitos de consumo (alimentação, higiene e limpeza) de famílias residentes em Ponta Grosa, com até três membros e renda familiar de um a cinco salários mínimos. Os preços praticados em supermercados da cidade na primeira semana de cada mês são comparados aos valores registrados no mesmo período do mês anterior.

Na pesquisa de julho, os técnicos da UEPG verificaram que 14 produtos tiveram alta de preços; 18 registraram queda; e um se manteve estável. O tomate teve a maior alta no período, 21,81%; e a cebola a maior retração, 43,49%. Ambos pertencem ao grupo hortifrutigranjeiros, cujos preços caíram em média 8,27%.

No açougue dos supermercados, a carne bovina apresentou a maior alta, 1,15%; e a carne de frango, a maior queda, 21,95%. O grupo registrou queda de 6,44%. No segmento de alimentação geral, os preços subiram 2,67%, com destaque para o sal, cujos valores foram reajustados para cima em 30,74%; e para o açúcar, com redução de 6,75%.

No grupo higiene, os preços caíram 0,68%. O creme dental teve a maior alta, com 8,67%; e sabonete caiu 7,77%. Já entre os produtos de limpeza, a pesquisa registrou aumento de preços, de 2,24%. Destaca-se o desinfetante como produto com maior alta, 6,89%; e a esponja, com a maior retração, 5,69%.

A pesquisa ainda compara os gastos com a cesta básica à renda familiar, tendo como base o salário mínimo nacional de R$ 954,00. Assim, uma família com renda de um mínimo gastaria 49,42% da sua renda mensal para adquirir todos os produtos da cesta básica. Restariam 50,58% para as demais despesas da casa. No caso de famílias com renda de dois a cinco mínimos, a despesa com a cesta básica seria de 24,71%; 16,47%; 12,35%; e 9,88%.

Com informações da UEPG

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização