aRede aRede aRede
aRede
Vereador de PG pede investigação sobre funcionamento de empresa

Ponta Grossa

06 de agosto de 2018 18:54

Afonso Verner

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Rotary promove liderança juvenil na Guarda Mirim

Cescage Genética multiplicará a Raça Purunã na África

UBS suspende atendimento após furto e vandalismo

Carro pega fogo no meio da rua e assusta motoristas
Homem é agredido com barra de ferro em PG
Guarda apreende quase meio quilo de maconha
Polícia recupera caminhão carregado com adubo
/Imagem: Kauter Prado / CMPG
PUBLICIDADE

Jorge da Farmácia (PDT) apresentou denúncia na tribuna da Câmara sobre possíveis irregularidades na Master Cargas

O vereador Jorge da Farmácia (PDT) levou nesta segunda-feira (6) à tribuna da Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) uma denúncia sobre o funcionamento da empresa Master Cargas – segundo os documentos apresentados pelo parlamentar, a companhia que trabalha com a logística de companhias como a Crow, Cargill e Tetra Pak estaria funcionando de forma irregular. Jorge contou a reportagem do Jornal da Manhã e do portal aRede que os documentos foram entregues a ele de forma anônima.

A reportagem teve acesso aos documentos que também foram enviados ao Ministério Público. Neles um empresário afirma (de forma anônima) que procurou a Prefeitura de Ponta Grossa em 2016 com a intenção de instalar uma empresa no Distrito Industrial e buscou informações sobre como proceder legalmente nesse sentido. No entanto, a mesma área que teria sido doada a esse empresário também foi doada a Master Cargas.

Ainda de acordo com o documento, a Master Cargas realizou a construção de um barracão nessa mesma área sem a apresentação do Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV), necessário para qualquer construção acima de 1 mil M² - a falta do EIV teria emperrado a iniciativa do empresário que denunciou a situação. O portal aRede e o JM entraram em contato com o Ministério Público e a assessoria do promotor Marcio Dantas confirmou que recebeu a documentação, mas destacou que não teve tempo hábil para analisa-la.

Na Câmara, Jorge da Farmácia destacou que a situação deve ser acompanhada pelo Legislativo Municipal e sugeriu a abertura de uma Comissão Especial de Investigação (CEI) para apurar o caso – Jorge ocupa o cargo de primeiro secretário e por isso não pode ser autor do pedido de criação da CEI. “Temos que acompanhar de perto essa situação e saber se não existem outros casos semelhantes no Distrito Industrial”, explicou.

Posicionamento da Prefeitura

A Prefeitura Municipal informa que há uma notificação com prazo corrente para que a empresa cumpra o instaurado no referido documento, que solicita o atendimento ao disposto no Código de Obras; caso o prazo não seja atendido, serão tomadas as medidas cabíveis determinadas pela legislação municipal.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização