aRede aRede aRede
aRede
Pastor diz que fez “burrada” ao assediar criança

Ponta Grossa

25 de julho de 2018 11:03

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Rotary promove liderança juvenil na Guarda Mirim

Cescage Genética multiplicará a Raça Purunã na África

UBS suspende atendimento após furto e vandalismo

Carro pega fogo no meio da rua e assusta motoristas
Homem é agredido com barra de ferro em PG
Guarda apreende quase meio quilo de maconha
Polícia recupera caminhão carregado com adubo
PUBLICIDADE

Polícia encontrou mensagens de teor erótico e fotos pornográficas na conversa por WhatsApp entre pastor e menina de 10 anos

Preso na noite desta terça-feira (24) suspeito de assediar uma criança de 10 anos, o suposto pastor evangélico assumiu ter enviado fotos pornográficas para a menina e classificou o ato como uma “burrada”. Em entrevista ao repórter Jeferson Cascavel, ele confessou o crime e disse que esta foi a única vez que cometeu o ato.

Pastor há quase oito anos, o homem afirma que foi procurado pela criança na última quinta-feira e, desde então, passou a trocar mensagens com a criança. A mãe da menina descobriu a conversa e, ao verificar as mensagens, confirmou que a filha vinha sendo assediada pelo pastor.

Nesta terça-feira, o homem pediu que a criança fosse até seu culto usando uma minissaia e também enviou fotos pornográficas para a menina. A mulher acionou a Polícia Militar e o Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), que já acompanhava o caso. Os policiais prenderam o pastor em flagrante e encaminharam o suspeito até a delegacia da Polícia Civil.

Ele será submetido nesta quarta-feira (25) à audiência de custódia para que a Justiça defina se ele responderá ao processo em liberdade ou aguarda o término da investigação em regime fechado. A Polícia Civil agora trabalha para identificar outras possíveis vítimas do pastor.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização