aRede aRede aRede
aRede
Instituto vai criar Conselho para definir ações em Parque

Ponta Grossa

18 de abril de 2018 21:01

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Saiba como ficará o clima em PG durante a semana

PG debate lei que prevê placas em esquinas perigosas

Chuva e excesso de velocidade causam acidentes na BR-376

Bandidos invadem fazenda na região do Boa Vista
Caso de vandalismo altera atendimento da Sanepar nesta segunda
Homem de PG comete suicídio em festa familiar
Acidente no centro de PG deixa cinco pessoas feridas
Foto: Foto: Arquivo aRede/JM
PUBLICIDADE

O Parque Nacional dos Campos Gerais, criado em 2006 para proteger a floresta com araucária e os campos nativos, no Paraná, está com edital aberto de chamamento até 5 de maio para Manifestação de Interesse em Participar do Conselho Consultivo da unidade de conservação. 

Desde 2017, além de ações de regularização fundiária, ordenamento do turismo, educação ambiental, fiscalização, entre outras, a unidade vem priorizando a formação de seu conselho consultivo. O conselho tem como papel principal promover a participação social na gestão da unidade de conservação, sendo um espaço de negociação, discussão, construção coletiva e formação de parcerias que auxiliam na tomada de decisões por parte da chefia e equipe da unidade e no cumprimento de seus objetivos de criação.

“O processo de criação do conselho consultivo é o passo mais importante a ser dado para a gestão democrática de uma unidade de conservação. A oportunidade de participar deste processo, além de gratificante, garante a gestão participativa prevista na Legislação Brasileira, com a oportunidade de contribuir para a preservação da Biodiversidade e do Patrimônio Natural da nossa região”, diz Valter Silvio Martins Filho, proprietário de Chácara na região do Rio São Jorge.

Todo processo de formação do conselho vem sendo desenvolvido por um Grupo de Trabalho coordenado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e composto pelas Prefeituras dos municípios de Ponta Grossa, Castro e Carambeí, a Universidade Estadual de Ponta Grossa e a Sanepar, em parceria com a APREMAVI (Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida).

“Fazer parte do Grupo de Trabalho nos trouxe um melhor entendimento sobre a região onde está localizado o Parque Nacional. A atuação dos vários agentes envolvidos neste processo, todos buscando um mesmo objetivo nos traz a certeza que bons resultados acontecerão”, justifica Henrique Salgado, superintendente de Meio Ambiente de Castro.

Produtores contestam projeto

Para os produtores rurais da região, o Parque Nacional dos Campos Gerais possui distorções e não reflete a realidade da área de 22 mil hectares onde está situado. “Este conselho será um conselho sobre algo que ainda nem saiu do papel. O Governo Federal decretou o parque em 2006 em cima de um processo mal feito. O Parque visa preservar uma área que já está preservada”, afirma o presidente do Sindicato Rural de  Ponta Grossa, Gustavo Ribas Netto. 

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização