aRede aRede aRede
aRede
Nevoeiro impediu que Alok pousasse para fazer show

Ponta Grossa

11 de março de 2018 12:06

Afonso Verner

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Biblioteca realiza debate sobre os livros cobrados no vestibular da UEPG

CCR RodoNorte leva teatro para municípios do Paraná

Prefeitura divulga resultado de provas de concurso em PG

München deste ano será no Parque Ambiental
UEPG recebe propostas da comunidade indígena
Homem mexe no que não deve e revolta mulheres
Ação de ladrões deixa crianças sem aula em PG
PUBLICIDADE

A equipe que participou do transporte do DJ Alok até Ponta Grossa procurou na manhã deste domingo (11) a reportagem do portal aRede para prestar esclarecimentos. Diante do não comparecimento do artista a apresentação marcada para acontecer no Centro de Eventos da cidade, os profissionais ressaltaram os esforços para que o avião pousasse em tempo hábil e com segurança.

Os profissionais prestavam apoio em solo, no Aeroporto Santana, contaram que o pouso foi prejudicado por um nevoeiro sobre a área. O DJ havia deixado a cidade de Foz do Iguaçu em tempo hábil para chegar ao Centro de Eventos de PG, mas o nevoeiro teria impedido o pouso, além de problemas na decolagem ainda em Foz do Iguaçu.

De acordo com os profissionais, o jato que traria Alok para Ponta Grossa foi acionado para iniciar o voo às 22h30 de sábado (10). No entanto, houve demora para aprovação do voo ainda em Foz do Iguaçu com uma notificação que dava conta de obras na pista - a intervenção na pista seguiu até 3h15 de domingo (11) e só então o jato foi liberado para decolar. 

Às 03h35 o jato decolou de Foz com destino Ponta Grossa e após 40 minutos de voo chegou até o destino. No entanto, um denso úmido se formou no aeródromo após as 00h30, impossibilitando pousos e decolagens. De acordo com a equipe, vale a ressalva de que nem com o mais preciso dos equipamentos de pouso seria possível pousar no Aerorporto Santana.

Tentativa de aproximação 

Segundo informações da equipe de apoio, às 4h15 de domingo (11) o comandante tentou se aproximar, mantendo todos os requisitos de segurança do voo, porém sem êxito para efetuar o pouso.

Possíveis destinos

Entre os possíveis destinos estava o aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, que também estava fechado pelo mesmo motivo. A alternativa seguinte seria Londrina, porém a logística terrestre ficaria inviável - entre PG e Londrina seriam mais de quatro horas de carro. Diante da situação, Alok e a equipe seguiram para o Macaé, no Rio de Janeiro.

Proximidade com rios prejudica

A equipe ainda esclareceu que nevoeiros do tipo ocorrem quando o ar fica saturado de umidade, com a temperatura do ponto de orvalho igual a temperatura do ar, criando assim uma condição meteorológica desfavorável para a aviação. Aeroportos situados próximos de rios e oceanos tendem a ser mais suscetíveis a formação desse nevoeiro, como é o caso do Aeroporto Santana.

O nevoeiro seguiu durante a manhã deste domingo (11) e um voo da Azul teve que ser transferido do local.

Artista prestou esclarecimentos nas redes sociais

Durante boa parte do processo de espera, Alok usou as redes sociais (especialmente a conta que mantém no Instagram) para prestar esclarecimentos ao público e lamentou o ocorrido.

Instrumentalização não resolveria

De acordo com a equipe de transporte, nem mesmo o procedimento de aproximação por instrumentos resolveria a situação. Existe uma altitude mínima em relação ao solo para considerar o aeroporto aberto ou fechado para pousos e decolagens via instrumentos. Em Ponta Grossa está altitude será em torno de 400ft (aproximadamente 130 metros de altura), além de pouca visibilidade na pista.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização