aRede aRede aRede
aRede
Cratera aumenta e preocupa moradores em PG

Ponta Grossa

13 de fevereiro de 2018 12:16

Afonso Verner

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Câmara de PG discute redução de vereadores

Cohapar e Prolar oficializam novo condomínio

Prefeitura de PG abre licitação para equipamentos médicos

Unidades de PG fazem campanha contra Polio e Sarampo neste sábado
Assaltos ao redor de faculdade preocupam alunos
Carlos Ayala assume a presidência da DAF Caminhões Brasil
Caminhada mobiliza comunidade sobre os direitos da população de rua
PUBLICIDADE

Uma cratera que se abriu na rua Rua Barão de Capanema no dia 23 de janeiro segue preocupando os moradores da região da Catarina Miró, Madureira e Palmeirinha em Ponta Grossa. Nesta quarta-feira (13), os moradores e vizinhos se reuniram para protestar diante da "demora" na solução do problema. Quando se abriu, o buraco acabou ferindo uma idosa de 62 anos - agora, na visão dos moradores, a cratera coloca em risco casas vizinhas e uma capela. 

De acordo com Lucas Nobres da Costa, morador da região e frequentador da capela vizinha, o buraco foi causado pelo rompimento de uma galeria fluvial que passa sob a primeira casa atingida. "Isso já faz mais de 20 dias e até agora nenhuma providência efetiva foi tomada sobre isso", contou o morador. Frequentador da capela Santa Catarina, vizinha ao local, Costa afirmou que os religiosos decidiram suspender as atividades no local.

"A Defesa Civil não interditou a capela, mas por questão de segurança optamos por suspender as atividades no local com medo de que algo pior aconteça", afirmou o morador. Os frequentadores da Capela e moradores da região já protocolaram diversos pedidos na Prefeitura e cobraram ações do Poder Público.

Chuva intensa piorou a situação

Com as chuvas intensas que tem atingindo o município, especialmente nos últimos dias, a situação no local piorou. Imagens registradas com um celular mostram a enxurrada que saia da cratera nesta segunda-feira (12) durante a chuva intensa no período da tarde. A galeria rompida reúne a água da chuva de várias regiões e passa sob três casas - uma delas já foi atingida no dia 23 de janeiro, já a outra residência já foi evacuada à pedido da Defesa Civil. 

Prefeitura garante licitação em breve

A reportagem do Jornal da Manhã e do portal aRede entrou em contato com o secretário de Serviços Públicos, Marcio Ferreira, que garantiu que os moradores da região tem recebido atendimento da Prefeitura. Segundo Ferreira, o processo segue em trâmite na secretária de Planejamento, comandada por Celso Sant'Anna.

Celso atendeu a reportagem e garantiu que os estudos técnicos para a realização da obra estão em fase final na Secretaria de Planejamento. "Assim que os estudos estiverem finalizados, vamos lançar um edital e o prazo inicial é de 30 dias para que licitemos essa obra", explicou Celso. O secretário ressaltou ainda que o local requisita uma obra de grande porte.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização