aRede aRede aRede
aRede
Emenda de R$ 4 milhões deve transformar setor de maternidades em PG

Ponta Grossa

12 de janeiro de 2018 18:17

Afonso Verner

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Motorista abandona carro após bater em muro de casa

Homem é preso ao agredir esposa e bebê de um ano

Com tempo ruim, motorista bate e derruba poste

Empresas e autônomos têm até dia 13 para renovar taxas
Coro Cidade de PG apresenta músicas paranaenses em Castro
Secretaria de Agricultura realiza estudos sobre Ceasa em PG
Comunidade do Santa Paula recebe ações do Junho Branco
/Imagem: Jair Marques / Assesessoria
PUBLICIDADE

Os municípios da região dos Campos Gerais darão um passo importante na melhoria das condições oferecidas às mães. Com uma emenda de R$ 4 milhões destinada pelo deputado federal Aliel Machado, uma maternidade começará a ser construída em anexo ao Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (HURCG). A construção, marcada para iniciar no próximo dia 24, começará 14 meses depois de uma Comissão Especial de Investigação (CEI) apurar inúmeras irregularidades no setor.

A nova unidade hospitalar terá dois pavimentos, contará com 20 leitos, consultórios, salas de espera e ambulatórios, resultando em uma estrutura de mais de 1300 metros quadrados. O prédio será construído em anexo ao Hospital Regional e deverá alterar o projeto arquitetônico do local – a nova maternidade ficará no terreno que hoje está ao lado do acesso ao HURCG e o prazo máximo para finalização da obra é de 18 meses.

A demanda por uma nova unidade hospitalar dedicada à obstetrícia foi apresentado à Aliel pelo ex-prefeito e comunicador, Jocelito Canto. “Naquela época, pensamos em compor uma força tarefa para discutir essa demanda com o Governo do Estado e com o Governo Federal, mas optei em apresentar uma emenda impositiva para garantir a construção da maternidade de forma mais rápida”, explicou o parlamentar.

A necessidade de construção de uma nova maternidade ficou evidente durante a CEI presidida pelo vereador Pietro Arnaud (REDE), encerrada em novembro de 2016. O presidente da Comissão lembra que na época o índice de mortalidade de crianças na região dos Campos Gerais era “sobrenatural”. “Aquele momento de investigação é embate foi fundamental para que hoje tivéssemos a construção da nova maternidade quase sendo iniciada, acho que essa é uma das maiores vitórias da história da cidade”, considera o vereador.

Pietro lembra que a construção da unidade não beneficiará apenas as gestantes que residem em Ponta Grossa, mas também moradoras(res) de todas as regiões dos Campos Gerais. “A estrutura hospital de Ponta Grossa atende as gestantes daqui e as gestantes de alto risco de outras 17 cidades da região, essa obra vai contribuir com vários municípios dos Campos Gerais que tem dificuldade em oferecer um tratamento de média e alta complexidade”, contou o vereador.

Espaço trará avanços para o campo acadêmico

A construção da nova maternidade também deverá acarretar em melhorias para o campo acadêmico em Ponta Grossa. Aliel Machado (REDE) lembra que o próprio Hospital Regional tem se fortalecido como instituição que une ensino, pesquisa e atendimento médico. “Acredito que os cursos de Medicina e Enfermagem da UEPG sairão muito fortalecidos, teremos mais um espaço para fortalecer e fazer com que nosso ensino superior seja ainda mais considerado como excelência”, afirmou o parlamentar. Aliel lembrou ainda que a construção do novo prédio em anexo ao Regional vai ‘liberar’ espaço o Hospital para outras atividades – uma ala do HU tem funcionado como maternidade.

Aliel quer garantir realocação de recursos

A construção da Maternidade foi inicialmente orçada em R$ 4 milhões, no entanto, durante o processo licitatório a obra acabou sendo licitada por cerca de R$ 3,6 milhões. Aliel Machado iniciou as tratativas para que o restante do recurso seja realocado para a compra de equipamentos. “Tenho buscado discutir a possibilidade do restante desse recurso ser utilizado na compra de equipamentos e vestuários, por exemplo, que serão fundamentais para o funcionamento da maternidade”, sugeriu Aliel.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização