aRede aRede aRede
aRede
Japoneses criam banana que pode ser comida com a casca

Insana

31 de janeiro de 2018 13:02

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Chinesa tenta arrancar língua de ex-namorado durante beijo

Pais entram na Justiça para expulsar filho de casa

Mulher confunde linguiça com cobra e mobiliza bombeiros

Cão atira acidentalmente em seu dono
Torcedor do Fla tatua camisa da equipe em tamanho real
Cheiro de fruta podre evacua faculdade na Austrália
Estranha aparição em foto de menina, ainda pleiteia respostas
Ela não é transgênica, não leva agrotóxico e é completamente orgânica/Foto: Divulgação /
PUBLICIDADE

A única desvantagem da banana criada pelos japoneses é seu preço

Ela não é transgênica, não leva agrotóxico e é completamente orgânica. Conheça a banana Mongee – “Incrível”, em japonês -, desenvolvida por uma empresa de agricultura no Japão, que utilizou um método que remonta à Era do Gelo, nos primórdios da atividade agroalimentar humana. A fruta, mais doce e cheia de vitaminas, pode ser comida com a casca, que nasce fina como uma alface devido aos métodos de cultivo.

O mercado da banana, fruta tropical por excelência, nunca é imune a doenças ou riscos climáticos como inundações e ciclones. No entanto, uma nova espécie, com casca comestível, poderia mudar as variáveis do negócio.

A nova banana vem de Okayama, no oeste do Japão. Sua particularidade é ser inteiramente comestível, incluindo a casca. A Mongee é obtida por meio de um novo método de cultura, inspirado na Era do Gelo, que alterna congelamento e descongelamento e imita as condições de crescimento da época, com temperaturas em torno de 12 graus.

Para recriar o ambiente da época, as bananeiras jovens são primeiro congeladas a menos de 60 graus, depois descongeladas e replantadas. As mudanças radicais de temperatura encorajam as plantas jovens a crescer muito rápido. As bananas amadurecem após apenas quatro meses, em comparação com os dois anos necessários para as frutas cultivadas com métodos tradicionais. Rica em vitaminas e magnésio, ela não utiliza pesticidas durante o seu cultivo e não há modificação genética.

“Essa tecnologia é original nossa, e foi criada como resultado da pesquisa por Setsuzo Tanaka, nosso gerente de desenvolvimento técnico, que por um muito tempo a desenvolveu um hobby”, relatou Tetsuya Tanaka, da empresa japonesa D&T Farm, em entrevista à RFI.

“Com esse método será em breve possível também desenvolver outros produtos como o mamão papaya, o café e a goiaba”, explicou.

Preço não-competitivo

A única desvantagem da banana criada pelos japoneses é seu preço, já que esta cultura inovadora requer um investimento maior, o que tem um custo. Uma banana Mongee custa cerca € 5 (R$ 20), a unidade. Por enquanto, apenas dez dessas bananas são comercializadas a cada semana. A D&T Farm, na origem dessa descoberta, não quer parar por aí. Com o mesmo método de cultivo, deseja desenvolver variedades melhoradas de trigo, soja e milho em climas frios.

Informações RFI

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização