Dr. Zeca quer fortalecer saúde preventiva

especiais-eleicoes2018

24 de novembro de 2017 18:58

Afonso Verner

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Zampieri quer ampliar representação de PG na Alep

Dr. Zeca quer fortalecer saúde preventiva

Mainardes visa candidatura para federal em 2018

Plauto destaca conquistas à região e busca 8º mandato
Alvaro quer propor candidatura de 'centro' em 2018
PSDB pode lançar João Carlos como deputado estadual
Aliel vai buscar segundo mandato à Câmara Federal
Foto: Imagem: Cristiano Barbosa
PUBLICIDADE

Dono de uma fala calma e um olhar fixo, o médico José Carlos Sahagoff Raad é reconhecido pelos resultados eleitorais expressivos em Ponta Grossa. Conhecido no meio político como Dr. Zeca, o médico se elegeu vereador em 2004 já como o mais votado daquele pleito. Quatro anos depois foi reeleito com nova votação recorde e reforçou o capital político conquistado. Em 2012, Zeca (na época do PSD) selou uma parceria com Marcelo Rangel (PPS) e foi eleito vice-prefeito de Ponta Grossa.

No ano de 2016, Zeca decidiu voltar ao Legislativo Municipal e se elegeu vereador pelo PPS – ao ser novamente consagrado o vereador mais votado do pleito, Zeca conquistou 6.686 votos e manteve a média de 6 mil votos a cada candidatura à Casa de Leis. Atualmente no comando do Diretório Municipal do PPS, Dr. Zeca tem como objetivo conquistar uma cadeira no Legislativo Estadual.

Com a experiência de três mandatos na Câmara e de ter sido vice-prefeito por quatro anos, Zeca critica uma possível “falta de representatividade” de Ponta Grossa junto ao Governo do Estado. O médico tem como principal bandeira o reforço da estrutura e do funcionamento dos equipamentos de saúde já existentes e quer levar para o Paraná projeto implementados em PG, como é o caso do ‘Ônibus da Saúde’.

Dr. Zeca ocupa hoje o cargo de vice-presidente da Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) e tem atuação discreta no plenário. No campo partidário, o médico busca reestruturar o PPS em nível municipal e discute uma possível dobradinha para 2018 – a legenda ainda quer elencar um nome para ser candidato ao cargo de deputado federal no próximo pleito, mas não descarta apoiar um nome de outro partido.

Acompanhe a entrevista do Jornal da Manhã e do portal aRede com o Dr. Zeca, virtual candidato ao cargo de deputado estadual pelo PPS no próximo pleito.  

Jornal da Manhã: O que te motiva a disputar um cargo de deputado estadual em 2018?

Doutor Zeca: O principal motivo é que Ponta Grossa carece de uma representatividade junto ao Estado. A cidade e a região necessitam de mais deputados, temos diversas demandas em aberto que precisam ser representadas ao Governo do Estado. Quero trazer mais recursos para Ponta Grossa e fazer com que a cidade apareça no cenário de forma consistente e positiva, além de melhorar as condições de vida daqueles que mais precisam.

JM: O senhor é um político experiente. O que destaca da trajetória política trilhada até aqui?

Dr. Zeca: Minha trajetória política sempre foi baseada na verdade, procuro ao máximo não enganar as pessoas, tudo que podemos fazer a gente já fala no ato. A minha caminhada até aqui foi muito simples: ela começou a partir de uma questão humanitária e tento ser uma pessoa que possa trazer algo de frutífero para essas pessoas mais necessitadas.

JM: O que te motivou a entrar na política?

Dr. Zeca: Entrei na política após uma decisão tomada pelo meu grupo político. Tomei essa decisão com o intuito de poder ter mais condições de ajudar as pessoas. Temos mais capacidade para resolver situações que colocam os mais pobres em necessidade, fazemos isso através de políticas públicas consistentes. Muitos me criticam dizendo que política e medicina não se misturam, eu discordo. Foi através da política que resolvi muitas coisas na área médica, trazendo recursos e equipamentos que melhoram a vida das pessoas. Se não tivesse um médico na política, muita coisa não tinha acontecido.

JM: Como o senhor avalia sua atuação como vice-prefeito entre 2013-2016?

Dr. Zeca: Acredito que fui o vice-prefeito que mais fez uma cidade até hoje. Criei um projeto chamado Ônibus da Saúde que é uma iniciativa não só de cunho social, mas em que também levamos o atendimento médico a locais de difícil acesso, locais esses que não tem Unidades de Saúde Básica, por exemplo. Nesse projeto, temos um clínico geral e um ortopedista, além de uma equipe de enfermagem e nutricionistas, além dos profissionais de educação física. Até um temo atrás, tínhamos remédios no Ônibus, mas atualmente temos tido dificuldades em conseguir esses medicamentos – o contexto da cidade é de falta de medicamentos. Esse é um projeto que tem 99% de aceitação da população e minha contribuição foi muito grande nesse sentido.   

JM: O que o senhor quer levar para a política em nível estadual?

Dr. Zeca: O projeto do Ônibus da Saúde é uma as iniciativas que quero discutir e viabilizar em todo o Paraná – quando implementamos essa proposta, algumas autoridades estaduais conheceram o projeto e mostraram interesse. Quero também viabilizar mais recursos para o setor da saúde, como melhorias para os nossos hospitais e unidades – acredito que hoje não há necessidade de você ficar criando mais hospitais ou unidades, temos é que fazer funcionar o que já temos. Ou seja: ao invés de construir um hospital novo, você libera uma verba para uma Santa Casa, por exemplo, e estimula o atendimento prioritário nesses locais. Nos postos de saúde, por exemplo, existe um problema sério: com a saída dos médicos cubanos tem faltado pessoal, a reposição tem sido lenta e muitos postos estão fechados. Infelizmente falta mão de obra para manter a estrutura hoje existente.

JM: Saúde é o tema mais discutido das eleições. Enquanto médico e político experiente, qual é o debate que o senhor quer propor para o próximo ano?

Dr. Zeca: A principal atenção deve ser à saúde básica, temos que fazer com que a população seja atendida no posto de saúde do bairro. Hoje temos uma dificuldade muito grande em que o cidadão vai ao postinho, não está se sentindo bem e a consulta é marcada para daqui um mês, as vezes mais. Com isso, o cidadão vai até a UPA ou ao Pronto Socorro Municipal e esses locais não são para esse tipo de atendimento, isso acaba travando todo o sistema. Com as unidades básicas funcionando adequadamente, evita-se esse tipo de problema e nós podemos avançar também no serviço de urgência e emergência, tudo isso compõe um elo muito importante da saúde pública. Temos que fortalecer a saúde preventiva para melhorar todo o sistema.

JM: O senhor assumiu o PPS há pouco tempo. Qual é a condição do partido hoje?

Dr. Zeca: Estamos tentando nos reestruturar o PPS em Ponta Grossa, mas também nos Campos Gerais – visitei algumas cidades da região e infelizmente o partido está esfacelado, normalmente nem o presidente local nós encontramos. Temos tido dificuldade, é uma tarefa árdua reconquistar o papel do PPS em nível estadual e nacional. Com a cláusula de barreira a partir de 2018, muitos partidos já vão desaparecer e o PPS precisa se reestruturar com urgência. Queremos fortalecer o partido com base na ideia de uma nova atividade política.

JM: O PPS terá candidato a deputado federal?

Dr. Zeca: No momento estamos fazendo contatos políticos para tentar lançar um candidato. Na região, o PPS está desestruturado e estamos tentando motivar os correligionários com uma gestão diferente, oferecendo assessoria jurídica e contábil, por exemplo, para incentivar a intensificação da participação eleitoral.

Perfil

Aos 53 anos, José Carlos Sahagoff Raad acumula três eleições como o vereador mais votado em Ponta Grossa. Curitibano, Dr. Zeca mudou-se ainda jovem para estudar Medicina no Rio De Janeiro, retornando na sequência para morar em Ponta Grossa. O médico entrou na política em 2004 e desde então tem acumulado votações recordes – mesmo em pleitos concorridos para o Legislativo Municipal, Zeca garantiu, ao menos, uma média de 6 mil votos. No próximo pleito, o vereador quer dar um passo maior e se eleger deputado estadual pelo PPS, legenda que atualmente comanda na cidade. 

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede