aRede aRede aRede
aRede
Beto Richa e esposa são presos em operação do Gaeco

Cotidiano

11 de setembro de 2018 07:06

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Sebrae lança Caderno de Tendências 2018/2019

Gasolina e etanol registram alta na semana, segundo ANP

Veículo projetado para uso de gás é testado na Itaipu

Marina faz caminhada em Curitiba e diz que combaterá corrupção
Toffoli assume presidência do Brasil pela primeira vez
Celulares irregulares serão notificados a partir de hoje
Apostador leva R$ 21,7 milhões na Mega-Sena
/Arquivo/AEN
PUBLICIDADE

Ex-governador do Paraná, ex-secretária de Assistência Social e o ex-secretário da Casa Civil, Deonilson Roldo, foram presos em ação do Ministério Público


O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) foi preso nesta terça-feira (11), em Curitiba. Ele é candidato ao Senado. A esposa de Beto Richa, Fernanda Richa, também foi presa. O ex-secretário da Casa Civil Deonilson Roldo também foi preso.

As prisões aconteceram na 53ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada nesta terça-feira.. É a chamada Operação Piloto, nos estados da Bahia, São Paulo e Paraná. Aproximadamente 180 Policiais Federais cumprem 36 ordens judicias nas cidades de Salvador/BA, São Paulo/SP, Lupianópolis/PR, Colombo/PR e Curitiba/PR.

O objetivo da investigação é a apuração de suposto pagamento milionário de vantagem indevida no ano de 2014, pelo Setor de Operações Estruturadas do GRUPO ODEBRECHT, em favor de agentes públicos e privados no Estado Paraná, em contrapartida ao possível direcionamento do processo licitatório para investimento na duplicação, manutenção e operação da rodovia estadual PR-323 na modalidade parceria público-privada.

As condutas investigadas podem configurar, em tese, os delitos de corrupção ativa e passiva, fraude à licitação e lavagem de dinheiro. O nome dado à operação policial remete a codinome atribuído pelo GRPO ODEBRECHT em seus controles de repasses de pagamentos indevidos a investigado nesta operação policial. Os presos serão conduzidos à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba/PR onde permanecerão à disposição da Justiça.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização