aRede aRede aRede
aRede
Procedimentos sobre registro sindical são suspensos

Cotidiano

12 de julho de 2018 13:14

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Estrutura em vidro ganha força na construção civil

PMN decide não ter candidato à Presidência

Mortes de imigrantes no Mediterrâneo chegam a quase 1,5 mil

Em convenção, Cida recebe o apoio do Pros e PMB
MDB quer João Arruda na disputa para Governo
Ratinho Jr quer tornar Paraná referência em gestão pública
Mega Sena pode pagar R$ 62 milhões neste sábado
Novo ministro do trabalho, Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello./Foto/Reprodução: Agência Brasil
PUBLICIDADE

Questionado por jornalistas se poderia fazer uma "limpa" no Ministério, novo Ministro do Trabalho respondeu com outra pergunta: "A senhora não faria?"

O novo ministro do Trabalho, Caio Vieira de Mello, suspendeu todos os procedimentos de análise e as publicações relativas a processo de registro sindical na pasta pelo prazo de 90 dias. O ato, um dos primeiros do advogado mineiro no cargo, está publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, dia 12. A medida não atinge processos que devem ser cumpridos por determinação judicial.

Caio Vieira de Mello assumiu o comando do Trabalho na última terça-feira, 10, em substituição a Helton Yomura, afastado do cargo na semana passada depois de ter sido alvo na 3ª fase da Operação Registro Espúrio da Polícia Federal. A ação aprofunda investigações sobre suposta concessão fraudulenta de registros sindicais no Ministério do Trabalho. Yomura representava o PTB no governo.

No dia da posse, o novo ministro sinalizou que faria mudanças na pasta depois das investigações realizadas pela PF. Questionado por jornalistas se poderia fazer uma “limpa” no Ministério, Mello respondeu com outra pergunta: “A senhora não faria?”. “O que for necessário, será feito”, afirmou ele, acrescentando que vai “fazer um exame apurado de todas as situações”.

No mês passado, a Secretaria de Relações do Trabalho do Ministério já havia determinado a suspensão, pelo prazo de 90 dias, da emissão de mais de 180 certidões sindicais, também com o objetivo de apurar possíveis irregularidades.

A Operação Registro Espúrio, que obrigou o Ministério do Trabalho a fazer esse pente-fino nos processos, foi deflagrada no fim de maio. Além de Yomura, também são alvo da operação, em diferentes fases, o ex-deputado e presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, pivô do escândalo do mensalão do PT, e os deputados Jovair Arantes (PTB), Paulinho da Força (Solidariedade), Wilson Filho (PTB) e Nelson Marquezelli (PTB). A deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), filha de Jefferson, também é investigada na ação da PF.

Informações Banda B

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização