aRede aRede aRede
aRede
“Operação de guerrilha”, diz Sandro Alex sobre HC de Lula

Cotidiano

09 de julho de 2018 14:54

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Construtoras investem em imóveis com projetos arquitetônicos de luxo

Mercedes-AMG G 63 chega ao país renovado

Startup paranaense será acelerada no Vale do Silício

Portos do Paraná vão incentivar o turismo para gerar mais empregos
Sebrae lança Caderno de Tendências 2018/2019
Gasolina e etanol registram alta na semana, segundo ANP
Veículo projetado para uso de gás é testado na Itaipu
PUBLICIDADE

Deputado federal divulgou um vídeo no Twitter em que fez duras críticas às decisões judiciais que quase determinaram a liberdade do ex-presidente da República

O deputado federal Sandro Alex (PSD) fez duras críticas a ‘quase’ soltura do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) durante este domingo (8). Em um vídeo divulgado no Twitter, Sandro classificou a operação como algo que lembrava “táticas de guerrilha”. O parlamentar classificou ainda como uma “operação orquestrada e dissimulada” da defesa do ex-presidente da República.

Sandro fez menção à série de decisões que quase viabilizaram a liberdade do ex-presidente, preso na sede da Polícia Federal em Curitiba – o habeas corpus (HC) requerido por três deputados petistas foi concedido na manhã de domingo pelo desembargador Rogério Favreto, mas acabou sendo suspenso no mesmo dia.

A disputa judicial contou com a participação de Sérgio Moro, juiz federal que atua nos casos da Lava Jato, que determinou que o HC não fosse cumprido, e também do presidente do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, com sede em Porto Alegre, Thompson Flores.

“A operação envolvendo a soltura de Lula lembra muito as táticas de guerrilha, isso vem da origem do partido e dos membros do PT. Foi algo orquestrado e dissimulado que só não aconteceu pela lucidez que ainda há presente no Poder Judiciário, mesmo diante da crise”, disse Sandro no vídeo.

Na visão de Sandro Alex, que é formado em Direito pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, a soltura de Lula seria tanto “ilegal”, como “imoral”.

Kalisnoki se disse “revoltado”

Na Câmara Municipal, os vereadores Eduardo Kalinoski (PSDB) e George de Oliveira (PMN) lamentaram a decisão de conceder a liberdade ao ex-presidente. “Estou revoltado com o que aconteceu. Já tinha visto advogado porta de cadeia, mas essa é a primeira vez que vejo um desembargador de porta de cadeia”, disparou o tucano se referindo ao desembargador Rogério Favreto.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização