aRede aRede aRede
aRede
Crianças diabéticas terão acesso a tratamento moderno

Cotidiano

13 de outubro de 2017 10:35

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

UEPG entrega diploma para 10 formandos em Pedagogia

País cria 110 mil novas vagas de trabalho em agosto

Jovem morre após capotamento no Parque Barigui

Gari que fazia limpeza encontra cabeça humana jogada na rua
Dólar tem baixa e fecha semana em R$ 4,047
Primavera deverá ser marcada pelo ‘El Niño’
Coligação de Cida pede ao TRE a exclusão de Richa
Crianças terão acesso a tratamento mais moderno na rede pública para diabetes/Foto: Divulgação Agência Brasil/
PUBLICIDADE

A terapia deve contribuir para a melhoria da qualidade de vida desses pacientes

O Ministério da Saúde anunciou que vai investir R$ 135 milhões que serão destinados à compra de um dos mais modernos medicamentos para diabetes tipo 1. A partir do ano que vem, a insulina análoga será distribuída pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para crianças.

O remédio é capaz de controlar com mais eficácia os níveis de glicemia no sangue, o que reduz os efeitos negativos da alta concentração da substância. A insulina é aplicada por meio de uma caneta.

Entre os 10 e os 14 anos o diabetes tipo 1 se manifesta de modo mais agudo. Por isso, o público-alvo da ação serão 1 milhão de jovens, que correspondem a 10% dos adolescentes diabéticos no País. Para os adultos, é preciso prescrição médica.

A terapia deve contribuir para a melhoria da qualidade de vida desses pacientes. Segundo o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), 60 crianças morrem por ano por complicações do diabetes e 8 mil são internadas.

O Ministério da Saúde ainda promove um programa para ajudar os pacientes a controlar o diabetes e incentivar o autocuidado. A medicação é distribuída no Aqui Tem Farmácia Popular em 4 mil cidades e beneficia mais de 6,2 milhões de pessoas.

Informações Governo do Brasil

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização