aRede aRede aRede
aRede
JBS mantinha conta com R$ 300 mi em propina do PT

Cotidiano

19 de maio de 2017 13:54

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Paraná trabalha para cadastrar refugiados que vivem no Estado

Inverno no PR deverá ter menos chuva

Bancos funcionarão em horário diferenciado amanhã

STF decide que PF também pode fazer acordo de delação
Estados e municípios são os que mais contribuem para o SUS
Homem ateia fogo em porteiro de condomínio no RJ
Em dois anos, 25 políticos já tiveram processos arquivados
JBS depositou cerca de R$ 300 milhões em propina devida ao PT numa conta secreta controlada por Joesley Batista na Suíça/Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Dinheiro era gerado por vantagens ilegais obtidas pela JBS no BNDES, durante as administrações de Lula e Dilma 

A JBS depositou cerca de R$ 300 milhões em propina devida ao PT numa conta secreta controlada por Joesley Batista na Suíça, cuja empresa de fachada, titular oficial da conta, era sediada no Panamá. O saldo dessa conta de propina era gerado aos poucos, em razão de vantagens ilegais obtidas pela JBS junto ao BNDES, sempre na gestão do PT – especialmente nos anos em que Luciano Coutinho presidia o banco. Era uma conta-corrente de propina dividida, nas planilhas da JBS, entre os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. As informações foram encaminhadas por Joesley à Procuradoria-Geral da República.

Segundo disse Joesley, o dinheiro era sacado, no Brasil, em nome de Lula e por ordem de Lula, às vezes por meio de Guido Mantega – e também em campanhas do PT em 2010 e 2014. Os recursos eram entregues em espécie, depositados em contas de laranjas indicados pelo partido e pelo ex-presidente e, também, transferidos oficialmente para contas oficiais de campanhas. Parte expressiva desse bolo foi usada para comprar o apoio de partidos pequenos na campanha de Dilma em 2014. As informações são da Revista Época.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização