aRede aRede aRede
aRede
Acusado de tentar explodir ex será julgado nesta terça

Campos Gerais

16 de abril de 2018 17:36

Stiven de Souza

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Bairros de Telêmaco podem ficar sem agua na terça

Castro já utiliza o prontuário eletrônico na Saúde

Carros batem e mulher morre atropelada na região

Hospital de TB será referência para 200 mil pessoas
Levantamento mostra recuperação do emprego
Arrecadação cresce 10% e supera R$ 2,8 bilhões
Documento traça cenário do emprego pós-crise nos Campos Gerais
Guia turístico Manoel Serino foi assassinado em 2016. /Foto: Divulgação/Redes sociais
PUBLICIDADE

O Tribunal do Júri de Ponta Grossa julga, nesta terça-feira (17), Rodrigo da Silva Jordão, conhecido como 'Botão'. O jovem de 23 anos é acusado de ter matado o guia turístico de Tibagi, Manoel Serino dos Santos, com quem mantinha um relacionamento homoafetivo. Além do homicídio, Botão é acusado de queimar e tentar explodir do corpo da vítima. 

Segundo as investigações policiais e a denúncia do Ministério Público do Paraná, em agosto de 2016, o rapaz esfaqueou Manoel até a morte. O crime foi registrado na casa da vítima, na Rua Tenente Coronel Florentino, Centro de Tibagi, por volta das 21 horas. A perícia constatou que o guia levou as facadas logo que saiu do banho, ainda nu. 

Depois de matar Manoel, Rodrigo 'Botão' arrastou um botijão de gás próximo ao corpo da vítima, cobriu o cadáver com um cobertor embebido em álcool e ateou fogo no mesmo. As chamas queimaram parte do corpo, mas não explodiram o botijão. O rapaz foi preso em casa dois dias depois do crime. 

Além do homicídio, ele responde por tentativa de destruição do cadáver e, ainda, furto simples. Isso porque, ao deixar a casa do ex-namorado, o jovem levou o celular da vítima. 

A defesa de Rodrigo alega que o homicídio foi cometido em legítima defesa. A versão apresentada pelo réu à Justiça é de que Manoel seria muito ciumento e teria atacado antes, após uma discussão. Os dois teriam namorada por mais de um ano, mas estavam sem se ver há alguns dias. No dia em que o crime aconteceu, eles se encontraram em uma praça pela tarde. Segundo o acusado, a vítima teria lhe convido para ir até a casa e ele aceitou. A intenção da visita, conforme depoimento, era dar um fim no relacionamento. Rodrigo disse que pretendia voltar com sua ex-mulher "para criarem juntos o filho que têm". 

Sem aceitar o fim do namoro, o guia turístico teria usado uma facada e atingido o réu, que revidou e tomou a arma de Manoel. O advogado de Botão, Rodrigo Alves, disse que há provas de que o réu foi ferido por Manoel. "Tem laudos de lesões dele com dois ferimentos de faca, porque eles entraram em luta corporal após uma discussão por ciúmes", afirmou. "No calor do momento ele realmente puxou um botijão e ateou fogo, mas o fogo não se alastrou", completou. 

O júri está marcado para às 8h30 desta terça-feira (17), no Fórum Estadual de Ponta Grossa. 

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização