aRede aRede aRede
aRede
BB projeta liberar R$ 2,5 bi para a safra na região

Agronegócio

04 de julho de 2018 19:50

Fernando Rogala

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Capal celebra 58 anos com novos investimentos

Fundação ABC realiza Show Tecnológico em outubro

Produtores estimam safra recorde de soja na região

Municípios da região lideram na geração de riquezas na agricultura
Capal investe R$ 38 mi para aumentar capacidade de armazenagem
Efapi terá negócios, shows e prevê público superior a 180 mil pessoas
Preservar a natureza custa R$ 20 bi por ano aos produtores
/Foto: sergio duze
PUBLICIDADE

O Banco do Brasil lançou oficialmente, nesta quarta-feira (4), o Plano Safra 2018/2019. O lançamento ocorreu de forma simultânea em diversos municípios brasileiros, e na região dos Campos Gerais ocorreu no Centro de Treinamento e Capacitação do Produtor Rural, no Centro Agropecuário Municipal Ayrton Berger, em Ponta Grossa. Conforme revelado durante o evento, a perspectiva para esse ano é da liberação de R$ 2,5 bilhões na região da Superintendência Regional de Ponta Grossa. Isso equivale a 18,3% dos R$ 13,6 bilhões projetados para serem liberados em todo o Estado do Paraná. No Brasil, o banco, que é o maior operador do Plano Agrícola do país, irá destinar R$103 bilhões de recursos para a safra 2018/19.

No evento em Ponta Grossa participaram representantes de vários municípios da região (Ponta Grossa, Castro, Carambeí, Tibagi, Palmeira, Teixeira Soares, Irati, Imbituva, Ipiranga), produtores rurais, autoridades, representantes das principais revendas de máquinas da região, equipamentos e insumos, Sindicatos Rurais, Emater, entre outros. Como diferencial apresentado, o plano, neste ano, contempla a redução de até 1,5 ponto percentual nas taxas de juros do crédito rural para as linhas de custeio, investimento e comercialização da agricultura empresarial.

O presidente da Sociedade Rural dos Campos Gerais, Edilson Gorte, que participou do lançamento, revelou que os bancos estão perdendo espaço para as cooperativas, e agora pretendem retomar o atendimento mais personalizado. “É importante essa proximidade que está sendo retomada pelo Banco do Brasil com o Produtor”, revela. 

Do valor total concedido, a maior parte é destinada para o custeio. Gorte destacou que os juros caíram em vários aspectos, e que isso irá trazer mais competitividade, e melhores condições aos produtores. “O melhor juro do banco está no incentivo à Agricultura de Baixo Carbono, a partir de 5,25%”, revela. Isso é um incentivo ao plantio direto, desenvolvido nos Campos Gerais, que preserva o solo. “O governo também está incentivando, com juros mais baixos, a construção de armazéns de até 6 mil toneladas. É um incentivo para que o produto tenha, na propriedade, um depósito de grãos”, completa. 


Custeio irá consumir R$ 11,7 bi

Para o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), são destinados R$ 14,3 bi nesta safra no país. Já para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o BB estima aplicar R$ 13,1 bi e redução das taxas para financiamento através do Pronaf que será entre 2,5% a.a. e 4,6% a.a. No Paraná, R$ 2,3 bilhões serão destinados para Agricultura Familiar, R$ 3,0 bilhões serão destinados para Médios Produtores e R$ 8,3 bilhões para Agricultura Empresarial. Do montante, R$ 11,7 bilhões serão direcionados para operações de custeio e comercialização e R$ 1,9 bilhão para créditos de investimento agropecuário

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização