aRede aRede aRede
aRede
Região gera R$ 10,6 bilhões em riquezas no agronegócio

Agronegócio

27 de junho de 2018 19:39

Fernando Rogala

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Capal celebra 58 anos com novos investimentos

Fundação ABC realiza Show Tecnológico em outubro

Produtores estimam safra recorde de soja na região

Municípios da região lideram na geração de riquezas na agricultura
Capal investe R$ 38 mi para aumentar capacidade de armazenagem
Efapi terá negócios, shows e prevê público superior a 180 mil pessoas
Preservar a natureza custa R$ 20 bi por ano aos produtores
/Foto: arquivo JM
PUBLICIDADE

O Valor Bruto da Produção Rural (VBP) dos 27 municípios da região dos Campos Gerais atingiu a marca de R$ 10,6 bilhões em 2017. A soma das riquezas geradas nos campos da região corresponde a 12,5% de tudo o que foi produzido no Estado do Paraná no ano passado. Castro mantém a posição de destaque estadual, registrando o terceiro maior valor em produção de riquezas na agricultura e na pecuária. Os números foram revelados no início desta semana pela Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (SEAB), cujo levantamento é realizado pelo Departamento de Economia Rural (Deral). 

Mesmo sendo 2017 o ano da ‘supersafra’, os resultados finais, de um modo geral, não foram positivos para o Estado do Paraná e para a região dos Campos Gerais. O valor registrado no Estado, de R$ 85,3 bilhões, é 3,94% inferior aos R$ 88,8 bilhões acumulados no ano anterior, 2016. Nos Campos Gerais também houve uma queda nessa média, de 3,8% (em 2016 foram gerados R$ 11,1 bilhões em riquezas na região). Quando o recorte é menor, englobando apenas os 18 municípios do núcleo regional do Deral, a redução foi um pouco menor, na casa de 1%, ao cair de R$ 8,13 bilhões para R$ 8,04 bilhões. 

Entre os municípios da região dos Campos Gerais, apenas nove (33,3% do montante) tiveram crescimento no VBP em 2017, enquanto que os outros 18 (66,6%) registraram uma queda. Os destaques positivos, que tiveram os maiores crescimentos no valor de produção foram Ortigueira, que elevou em 25% o montante, de R$ 379,9 milhões para R$ 475,2 milhões. Na sequência se destacaram Telêmaco Borba, com alta de 11,9% (de R$ 179,5 milhões para R$ 201,1 milhões) e São João do Triunfo, na casa de 10,6% (de R$ 275 milhões para R$ 304 milhões). No outro extremo, a maior redução foi de Fernandes Pinheiro, de 29,6%, ao reduzir de R$ 274,4 milhões para R$ 193 milhões. Também tiveram grandes quedas Ventania, de 21,1% (R$ 205,7 milhões para R$ 162,3 milhões) e Sengés, de 20,7% (baixa de R$ 225,7 milhões para R$ 178,8 milhões). 

No ranking regional, Castro permanece soberana, com um VBP de R$ 1,49 bilhão, valor que caiu 5,6% ante o montante registrado em 2016, R$ 1,58 bilhão. Na sequência se destacam Tibagi, com R$ 935 milhões, e Carambeí, R$ 705 milhões. Palmeira é a quarta (R$ 622,1 milhões) e Arapoti (R$ 562,8 milhões) a quinta, seguida por Piraí do Sul (R$ 548,7 milhões), a sexta e Ponta Grossa, a sétima (R$ 546,5 milhões). Ponta Grossa, aliás, teve uma das menores variações, de apenas 0,1% para menos, já que o valor acumulado em 2016 foi de R$ 547,1 milhões. 


Toledo foi a cidade que mais gerou riquezas no Paraná

O maior VBP do Estado do Paraná, entre os municípios, foi registrado por Toledo. Considerada a ‘Capital do Agronegócio do Paraná’, a cidade, localizada no Oeste do Paraná atingiu um VBP de R$ 2,16 bilhões. Da mesma forma que a média estadual, houve uma queda na comparação com 2016, quando registrou R$ 2,18 bilhões. Na segunda colocação se destacou Cascavel, com VBP de R$ 1,54 bilhão, valor o qual, contudo, é 9,7% inferior ao valor de R$ 1,69 bilhão em 2016. Depois de Castro, na terceira colocação, destaque para Marechal Cândido Rondon, com R$ 954 milhões, seguida de perto por Tibagi, a quinta principal do Paraná, com um VBP de R$ 935 milhões.


Cidade Valor 

Castro R$ 1,49 bi

Tibagi R$ 935,1 mi

Carambeí R$ 705 mi

Palmeira R$ 622,1 mi

Arapoti R$ 562,8 mi

Piraí do Sul R$ 548,7 mi

Ponta Grossa R$ 546,5 mi

Ortigueira R$ 475,2 mi

Prudentópolis R$ 472,9 mi

Irati     R$ 447,1 mi 

Teixeira Soares R$ 389,4 mi

Reserva     R$ 366 mi

Imbituva R$ 350,4 mi

Ipiranga R$ 306 mi

São João do Triunfo R$ 304 mi

Jaguariaíva R$ 296,9 mi

Cândido de Abreu R$ 250,6 mi

Rebouças R$ 229,5 mi

Ivaí     R$ 224,3 mi

Telêmaco Borba R$ 201,1 mi

Fernandes Pinheiro R$ 193 mi

Sengés R$ 178,8 mi

Ventania R$ 162,3 mi

Curiúva     R$ 159,5 mi

Guamiranga R$ 147,8 mi

Porto Amazonas R$ 81,1 mi

Imbaú     R$ 40,5 mi

Total R$ 10,69 bi



PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização